Editorial

14 anos

No dia 29 de junho de 2007, José Saramago assinou a acta de constituição da Fundação José Saramago. Além de descrever as bases e os princípios que deveriam sustentar a instituição, o escritor deixou gravado um pedido: que o trabalho fosse realizado como se a fundação tivesse nascido para resolver os problemas do mundo. “Não vos peço muito, peço-vos tudo”.

Dois anos depois da criação da FJS, José Saramago visitou a Casa dos Bicos, então em obras, e manifestou a sua alegria pelo histórico edifício vir a ser a sede da fundação. “Temos muito trabalho por diante. Dois anos não são nada, mas a menina está de boa saúde e recomenda-se.”

Com as portas abertas ao público desde 2012, a fundação tem-se esforçado para cumprir o papel que o seu criador para ela imaginou: ser um centro cultural no coração da cidade, fomentar a literatura e outras expressões artísticas, promover a língua portuguesa, trabalhar pela difusão e respeito pelos direitos e deveres humanos, defender o ambiente e intervir na sociedade.

Em resumo, há 14 anos, ao criar a Fundação José Saramago, o escritor pediu-nos tudo. E desde então tentamos cumprir com o seu pedido diariamente, trabalhando também para que o seu nome, a sua obra, as suas ideias e desejos, não se apaguem.