Estante Sara Figueiredo Costa

Escultura Negra
Carl Einstein
Orfeu Negro
Tradução de Manuela Gomes

Originalmente publicado em 1915, o livro de Carl Einstein constituiu um marco fundamental para a arte europeia e para o modo de ver e analisar a criação artística de outras geografias. Recusando o etnocentrismo característico dos discursos históricos até aí vigentes, que colocavam o “Ocidente” no centro de toda a criação cultural, Einstein olha, regista, analisa e disserta sobre a escultura africana, vendo-a e apresentando-a ao seu público a partir de uma visão que se afasta de conceitos prévios e procura nas formas, no espaço e nas linhas uma ideia de totalidade que em nada depende da suposta superioridade da arte europeia – para a qual, aliás, haveria de contribuir significativamente. Ao texto de Carl Einstein juntam-se 111 fotografias, registando perto de uma centena de esculturas.

→ Orfeu Negro