Casa da Andrea Andréa Zamorano 9 Julho 2024
© Freddy Kearney /Unsplash

a guerra 

mas se estão milhares na nossa porta?

a tal guerra já começou?
os ataques não estão por toda parte?
estamos reagindo?

apenas uma caterva de néscios
ignorantes
somos mais cultos

mas se estão milhares na nossa porta?

vamos esperar?
fiando-nos que cumprirão as palavras com as quais edificamos o mundo?
se se apoderaram delas e erigem novas realidades?
[                  ] esperar? 
esperar nunca foi saber, não era o que se repetia no refrão?

apenas uma caterva de néscios
ignorantes
somos mais cultos

mas se estão milhares na nossa porta?

continuaremos a fingir que não existem?
e se não se vão embora? 
os petardos não arrebentam cada dia mais próximos?  
já atingiram escolas? 
explodiram banheiros públicos? 
encolerizaram-se igrejas?

apenas uma caterva de néscios
ignorantes
somos mais cultos

mas se estão milhares na nossa porta?

melhor seguirmos desprezando?
[                  ] e afinal não estamos calados?
se ninguém nos ouve?!
ou só nos ouvem os que não necessitam nos ouvir?
caso fizéssemos o que sugeriu o filósofo? 
despregássemos as orelhas das nossas cabeças?

apenas uma caterva de néscios
ignorantes
somos mais cultos

mas se estão milhares na nossa porta?

têm um sistema de crenças próprio?
uma bravura obtusa?
estão cegos? [                  ]
e nós?!
continuaremos por aí a escrever artigos para olhos moucos?

apenas uma caterva de néscios
ignorantes
somos mais cultos

mas se estão milhares na nossa porta?

em tempos, o povo bradou: eles “andem” aí?
terão regressado?
jamais partiram?
e se… ?

apenas uma caterva de néscios
ignorantes
somos mais cultos

eu?! eu?!
por que eu?
o que sabes tu? 
não importa?
eles sabem perfeitamente quem somos:

o inimigo.