Estante Aurore Petit

Uma mãe é como uma casa
Aurore Petit
Bruaá

Na linha temática de A minha mãe, de Anthony Brown ou de Coração de Mãe, de Isabel Minhós Martins e Bernardo Carvalho, este álbum sobre a maternidade elenca numa lógica enumerativa vários papéis desempenhados pela mãe.
A metáfora que alimenta o sentido figurado é desvendada na representação pictórica, de contornos definidos, que muito claramente descrevem as interações entre a progenitora e a criança. É aliás através da ilustração que o leitor acompanha um período na vida desta família, que se inicia pouco antes do nascimento e se fecha num movimento de autonomia do menino. 

Aquilo que parece por isso limitado não se conclui na última página já que ali se repete a primeira afirmação do livro, que lhe dá o título. A mãe é uma casa, e sê-lo-á continuamente, para proteger, abraçar, dar conforto e cuidado, responsabilizar, brincar, apoiar, ajudar a descobrir… mesmo quando o infante já pode ir e regressar. A emoção da dedicação e do afeto destaca-se a cada ilustração, reforçando a sua componente de narrativa visual imprescindível.