Blimunda # 44, janeiro de 2016

capa_blimunda_44_janeiro_2016.png


Descarregar português
Ler no Scribd

Como alteram as novas tecnologias o acesso aos bens culturais e informativos? Esta pergunta preside a grande parte do conteúdo da edição # 44 da Blimunda.

O jornalismo atual passa por uma transformação, relacionada com a crise económica, mas também com o fim de um modelo que o obriga a reinventar-se. A revista deste mês debruça-se sobre esta questão e ouve alguns jornalistas no Brasil, em Espanha e em Portugal a fim de conhecer novos projetos e tentar apontar pistas para o futuro dos jornalistas e do jornalismo.

A integração das novas tecnologias, em especial dos media sociais, na educação formal ainda é um desafio para os educadores. A possibilidade de utilização de algumas novas ferramentas para promover a leitura é o assunto da secção Infantil e Juvenil da revista.

Em Lisboa, a Blimunda visitou a mostra dedicada a Ruy Duarte de Carvalho, escritor, cineasta e antropólogo nascido em Angola em 1941 (e falecido em 2010), e conversou com Marta Lança, investigadora em Estudos Artísticos e uma das responsáveis pela curadoria da exposição patente na Galeria Quadrum, em Lisboa.

Na secção dedicada ao cinema, o tema é o Rock, ou mais especificamente o “rockcumentário”, género que nos últimos anos tem ganho espaço no grande ecrã.

Na Saramaguiana, duas pesquisadoras da Universidade de Évora, Aline Ferreira e Helena Ferreira, propõem uma leitura de O Anjo, quadro de Paula Rego, como Blimunda, personagem de José Saramago do romance Memorial do Convento.

Como habitualmente, os restantes conteúdos da Blimunda têm como destino as secções permanentes da revista: Estante, Leitura do Mês, Rodapé e Dicionário.

A começar 2016, o desejo de sempre, boas leituras!